No trabalho

Coisas que eu gostaria que tivessem me falado quando comecei a faculdade de Publicidade

21 de julho de 2016
coisa--que-eu-gostaria-que-tivessem-me-falado-quando-comecei-a-faculdade-de-publicidade-no-trabalho-um-cafe-pra-dois

Como já falei algumas vezes por aqui (tanto nos posts, quanto nos vídeos), eu sou publicitária. O que eu ainda não falei, foi que eu detestei grande parte da minha vida acadêmica. Para ser bem sincera, só curti mesmo o TCC – apesar de toda atmosfera estressante na qual este período está envolvido, sinto que foi o único momento da faculdade em que senti que estava fazendo algo relevante.

Claro, também podemos incluir vários fatores nisso: eu chegava em casa depois da meia-noite porque trabalhava até tarde e acordava às 6h (e muitas vezes faltava porque não conseguia manter o ritmo), depois troquei de universidade, voltei alguns semestres por conta dessa mudança, precisei trancar a matrícula algumas vezes por causa de dinheiro, enfim. Eu queria tanto que o dia da apresentação do meu TCC chegasse, marcando o fim dessa fase cansativa e estressante, que deixei de aproveitar o trajeto até a linha de chegada.

Por isso, aqui vão algumas dicas da Andressa de 2016 para a Andressa de 2010. E espero que esse post também sirva para quem está no início da faculdade ou pensa em começar o curso de Publicidade 😉

Anote tudo o que puder nas aulas de Mídia (e guarde essas anotações até o TCC)

O último ano do curso foi dedicado exclusivamente ao desenvolvimento de uma campanha publicitária. Meu grupo e eu criamos uma agência, fizemos um filme institucional dessa agência e desenvolvemos uma campanha para uma marca. E posso falar com convicção que a pior parte disso tudo foi criar o Plano de Mídia para esta campanha.

Para quem não está familiarizado este universo, o Plano de Mídia é onde fica toda a estratégia de divulgação de uma campanha: onde as peças publicitárias vão ser anunciadas, com qual frequência, valores, etc. É algo bem complexo e extenso; para vocês terem uma noção, 70% do orçamento da campanha é destinado para Mídia.

O Plano de Mídia demorou muito tempo para ficar pronto, o orientador o devolveu várias vezes para correção e ainda levou algumas horas para uma análise final até chegar à perfeição. Meu grupo tirou uma belo 10? Tirou. Mas foi um 10 sofrido.

Com certeza, se eu tivesse minhas anotações das aulas de Mídia que tive no segundo ano, esta fase não teria causado tanto desgaste. Por isso, eu indico que você não só faça as anotações dos cálculos (sim, tem um pouco de Exatas em Humanas hahaha), anote tudo o que você entendeu sobre aquela aula. Como se estivesse explicando para alguém, sabe? Grave áudios se você achar melhor – eu entendo melhor as coisas ouvindo a explicação, por exemplo -, então isso varia de pessoa para pessoa. E lembre-se de que é você quem vai ler ou ouvir esta explicação no futuro, então seja o mais didático possível. Acredite, você vai me agradecer por isso.

Se empenhe mais nos projetos de Audiovisual e Direção de Arte

Ao final da faculdade, me vi muito mais crítica e perfeccionista do que antes. Me lembrando dos projetos de Audiovisual e Direção de Arte que desenvolvi durante a vida acadêmica, posso afirmar que eu poderia ter me empenhado muito mais. Não falo de gravar nomes de planos cinematográficos, nem decorar os atalhos do Photoshop; falo de se empenhar mais para que os projetos, quando concluídos, pareçam o mais profissionais possível. Estude sobre movimentos de arte, acesse blogs que falam sobre o assunto, assista a filmes de diretores com estilos diferentes do que estamos acostumados (eu gostaria de ter descoberto os filmes do Wes Anderson um pouco antes da reta final do meu TCC, por exemplo).

Consuma mais arte, faça seu próprio catálogo de referências e se doe mais nos trabalhos da faculdade. Muito do que eu fiz foi apenas pensando em passar de ano e chegou um momento em que tive que aprender várias coisas de uma vez porque não tinha dado importância para elas antes.

Assista Mad Men

Apesar de muitas pessoas pensarem isso, Mad Men não é uma série sobre publicidade. É uma série sobre pessoas que vivem nos anos 60 e que, coincidentemente, trabalham com publicidade. De qualquer forma, é muito legal entender tudo o que está acontecendo na história, ver o processo de criação de uma campanha naquela época e saber os nomes das agências que eles citam na série. É como ver Grey’s Anatomy sendo um cirurgião, sabe? Todo mundo gosta de acompanhar a história, mas é mais legal ainda quando você entende tudo o que os personagens estão falando.

Comecei a assistir a Mad Men apenas no meu último ano e gostaria de ter começado antes, aposto que teria ficado muito mais empolgada com a faculdade. Parece besteira, mas me incentivou muito!

Ah, e todas as temporadas estão disponíveis no Netflix!

Procure passar um tempo trabalhando em uma agência

Eu, sinceramente, não tenho vontade de fazer isso hoje porque sei que o ritmo de trabalho é um pouco diferente do que eu quero para a minha rotina. De qualquer forma, confesso que tenho curiosidade e gostaria de ter passado um tempo trabalhando em uma agência, nem que fosse para viver a experiência brevemente.

Como eu paguei minha faculdade sem a ajuda dos meus pais, precisava de um emprego onde o salário cobrisse, pelo menos, a minha mensalidade. Por isso, não cheguei nem a fazer estágio – comecei na área como Analista de Comunicação na empresa onde eu trabalhava antes mesmo de iniciar os estudos em publicidade.

Mas se você tiver a oportunidade de passar nem que seja um curto período em uma agência da publicidade, vai fundo!

Notas boas em provas são importantes para passar de ano, mas elas não te definem

Durante a maior parte da faculdade, eu fui uma aluna mediana. Sempre “passei raspando” em muitas matérias e tudo isso por causa da maravilhosa prova. Acredito que existam vária formas de avaliar o aprendizado de uma pessoa, e que essa forma varia de um indivíduo para outro. Já vi muita gente que ia super bem nas provas porque sabia decorar coisas, e que mostrou um desempenho muito abaixo do que se espera de um “aluno nota 10” durante avaliações práticas.

No mercado de trabalho não existe prova. Decorar frases do Kotler não vai garantir sua aprovação em uma entrevista de emprego. O que vale é a forma como você coloca em prática tudo o que aprendeu nos anos anteriores. Minhas notas ruins nas provas faziam com que eu me sentisse completamente inútil e ficava me perguntando se era aquilo que eu deveria fazer para a minha vida. Quando chegou o TCC, momento de colocar prática meu aprendizado, me descobri outra aluna. Enquanto as pessoas que tinham boletins cheios de notas 10 não sabiam sequer montar um relatório de pesquisa, eu me surpreendia a cada elogio de um orientador.

A faculdade é um período muuuuito curto da sua vida e, no fim das contas, suas notas baixas não te definem como profissional.

E você? O que gostaria que tivessem te falado no começo da faculdade? Conte nos comentários, nós adoramos trocar histórias e experiências!

Comments

comments

You Might Also Like

1 Comment

  • Reply Carreira: Como troquei o Teatro pela Publicidade – Um café pra dois 23 de agosto de 2016 at 09:11

    […] Foi chato? Na maior parte das vezes – inclusive, falei um pouco sobre isso aqui. […]

  • Leave a Reply

    Receba conteúdo exclusivo via e-mail

    Olá! Que bom te ver por aqui :)
    Para não perder os próximos posts do Um Café Pra Dois e ainda receber conteúdo exclusivo em seu e-mail, assine agora a nossa newsletter.
    Email address
    Fique tranquilo, nós nunca te enviaremos spam :)